5.4.06

 

Eu Não Me Faço de Rogado

Em artigo recente, Reinaldo Azevedo diz a respeito de Márcio Thomaz Bastos: "eu sentei aqui para escrever disposto a pedir a sua cabeça. Mas não peço." Bom, eu não me faço de rogado: quero sim a cabeça do ministro da (in)justiça. De preferência, em uma bandeja de prata.

Márcio Thomaz Bastos, para quem se lembra, é o pai do embuste de que o Valérioduto era formado apenas por "recursos não-contabilizados", sobras da campanha de Lula. A idéia era transformar um caso evidente de corrupção e uso ilícito da máquina estatal para comprar consciências em mero crime eleitoral (e já prescrito, e portanto, sem possibilidade de punição). O ministro é a figura sombria por trás do governo Lula, o hábil criminalista que usa tanto seu conhecimento jurídico notável como sua posição como chefe da Polícia Federal para de todas as maneiras desviar o foco das atenções de Lula e seus companheiros, criando factóides como a prisão dos Malufs (merecida, mas desnecessariamente pirotécnica) ou a invasão da Daslu. Se existe uma mente pensante no governo dedicada integralmente a manter Lula no poder, essa mente pertence a Márcio Thomaz Bastos. Isso por si só já seria motivo, ao meu ver, para que ele fosse fustigado sem dó nem piedade; mas a sua incompetência no combate à violência, o absurdo do referendo do desarmamento patrocinado por ele, e as suas declarações a favor de uma "acomodação constitucional" com o MST dão razões mais do que objetivas para que ele fosse demitido.

Mas agora surgem evidências de que o ministro tomou parte do hediondo caso da quebra do sigilo do caseiro Francenildo. Ou seja, temos ninguém menos do que o ministro da justiça envolvido na concepção e execução de um ato criminoso, violando barbaramente o Estado de Direito e a lei. Se isso for verdade, Márcio Thomaz Bastos não tem mais autoridade moral alguma para comandar o Ministério da Justiça.

Eu quero a cabeça de Márcio Thomaz Bastos. E já.

Comments:
Simi,

o seu post está absolutamente correto.As suspeitas que pesam sobre MTB já são suficientes para afastá-lo do cargo. Não pode pairar dúvidas sobre questões éticas e morais respeitantes às autoridades. Ainda mais o Ministro da Justiça.
Seu blog é bom.

Abs
Aluízio Amorim
http://oqujepensaaluizio.zip.net
 
Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?