20.11.05

 

O que é Resistir Democraticamente

O objetivo do “Final de Campeonato” é defender a resistência democrática ao governo Lula. As razões são óbvias para qualquer um que acompanhe, mesmo que só de vez em quando, as notícias, mas podem ser resumidas da seguinte forma:

1) O governo Lula, eleito com mais de 53 milhões de votos, usou da confiança que lhe foi concedida pelo eleitorado para construir o mais vasto e pernicioso sistema de corrupção que este país já viu. O sistema já existia antes da eleição de 2002, nas prefeituras petistas no interior paulista, e foi transplantado de forma planejada para a administração federal. A isso somou-se todo tipo de irregularidade administrativa e crime fiscal, financeiro e tributário, inclusive o recebimento pelo PT de dinheiro vindo do exterior. Isso constitui uma quebra inadmissível do pacto de confiança entre governantes e governados que rege qualquer governo civilizado;

2) O governo Lula, não satisfeito em saquear o país de forma jamais vista, procura ativamente abafar as investigações e criar um clima de luta de classes no país. Moralmente impedido de governar, Lula e seus asseclas insistem em tentar acusar a oposição de ter inventado as denúncias e clama que um “golpe das elites” estaria em curso. Isso é não apenas completamente absurdo, mas um insulto a todos os brasileiros, que os atuais ocupantes do Planalto parecem considerar ser formada apenas por idiotas;

3) A oposição partidária, apesar de ter recebido o mandato popular de fiscalizar e controlar o governo Lula em 2002, parece incapaz (ou sem vontade) de cumprir seu papel a contento e seguir adiante com aquilo que seria a única coisa digna a se fazer diante da gravidade das denúncias: pedir o impeachment de Lula. A oposição age assim por duas razões: ela também tem o rabo sujo e não deseja ver seus podres expostos em uma eventual devassa do governo Lula, e calcula que é capaz de vencer as eleições em 2006 se mantiver Lula sangrando até lá. O fato de que essa estratégia implica em deixar o país a mercê da gangue que hoje ocupa o Planalto por mais um ano parece não passar pela cabeça de tucanos e pefelistas.

Diante desse quadro, o que resta ao cidadão comum? Resistir. Denunciar o tempo todo o que está acontecendo, sem medo. Criticar o governo (e também a oposição) sempre que tiver oportunidade: em conversas com amigos e familiares, em debates públicos, na internet, no trabalho. É cuspir no chão cada vez que alguém pronunciar o nome de Lula. É exorcisar todo e qualquer pensamento inspirado pelo petismo e pelo lulismo da cabeça. É rejeitar a lógica da corrupção e da bandalheira que tomou conta do país e agir, na sua vida privada e pública, de forma correta e honesta. É defender a lei quando aqueles que tem a obrigação institucional de fazê-lo não o fazem. É ensinar aos filhos que hoje este país é governado por ladrões, mas que não foi sempre assim e que voltaremos a ser governados por gente com um mínimo de seriedade.

Resistir democraticamente, na atual conjuntura, é erguer uma vela de esperança e honestidade na escuridão da corrupção e do aventurismo que tomaram conta deste país. Sozinho, nenhum de nós é capaz de mudar nada; mas juntos, somos legião.

Comments:
Endosso fortemente todos os argumentos defendidos, em cada ítem deste texto.
Excelente texto!
 
Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?